Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 5 de junho de 2012

Tipos de contraturas

Contratura e definida como o encurtamento ou retração da pele, fáscia, músculo, ou cápsula articular que restringe a mobilidade ou flexibilidade normal daquela estrutura. O que leva a estrutura a possíveis enrijecimentos crônicos ou permanentes dos tecidos moles, ocasionando diminuição da amplitude de movimento (ADM) em determinada articulação. Pode ocorrer tanto em um indivíduos sedentários quanto em atletas de alto rendimento.

Existem quarto (4) tipos de contraturas:
  • Contratura Miogênica: nesta contratura a estrutura acometida e o ventre muscular, pode ser primaria (intrínseca): trauma muscular direto, inflamação, alterações degenerativas, alterações isquêmicas, imobilização, vasculopatias periféricas, diabetes. É secundaria (extrínseca): hipertonia, espasticidade, alterações mecânicas (exemplo: pode ser causada por lesões do neurônio motor  superior e inferior).
  • Contratura artrogênica: é a contratura articular, as estruturas envolvidas são, cápsula articular, membrana sinovial, cartilagem articular e congruência articular. (exemplo: pode ser causada por fibrose capsular, lesões nas cartilagens/adquiridas ou congênitas, artrite proliferativa).
  • Contratura de partes moles: as estruturas envolvidas e todo tecido dérmico e conjuntivo, tendões e ligamentos, ( exemplo: pode ser causada por queimaduras,bursite, esclerodermia).
  • Contratura mista: quando há presença de mais um tipo de contratura associada. 
Contraturas apresenta dor e incomodo na maioria dos casos sem sinais de ruptura (muscular por exemplo),  não impede a realização de atividades de vida diária , porem com diminuição do rendimento e da função (mal executada).

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Mobilidade

A mobilidade é uma das habilidades física que compõem a função física normal.

Mobilidade depende da:
ADM passiva/ articular: o que permite a quantidade de movimento disponível na articulação.
ADM ativa/ muscular: habilidade neuromuscular para realizar o movimento.

  •  As atividades de mobilidade são exercícios específicos ou atividades funcionais realizados com a finalidade de aprimorar a ADM funcional ao redor de uma articulação.
 A mobilidade e classificada como:
  •  Passiva
  • ativa assistida
  • ativa livre
  • ativa resistida
Efeitos da Imobilidade

  • No músculo: atrofia; diminuição da FM (força muscular), da potência e endurance; contraturas.
  • No tendão e ligamentos: diminuição da força tensil, da elasticidade por redução da massa de colágeno.
  • Na cartilagem: diminuição da irrigação levando ao amolecimento e a fragmentação das suferfícies condrais.
  • No osso: diminuição da absorção de cálcio (8% ao mês)
  • Na articulação: rigidez (diminuição da ADM)
  • Na circulação: estase circulatória
Efeitos da remobilização

  • Sobre o músculo: restauração da extensibilidade, aumento do diâmetro das fibras musculares; aumento da força, endurance (resistência) e potência muscular (se for feita de forma ativa).
  • Sobre os tendões e ligamentos: aceleração da síntese de colágeno, restauração da força tensil e da capacidade de absorção de energia; aumento do diâmetro é o complexo osso-ligamento torna-se mais resistênte.
  • Sobre a cartilagem articular: prevenção da degradação, melhora a nutrição, melhora da estabilidade articular e da distribuição de cargas.
  • Sobre o osso: restauração das forças mecânicas, melhora a reabsorção de cálcio.

 
 Obs: de acordo com a CIF a presença de um déficit/deficiência " não indica necessariamente que há uma doença ou que o indivíduo deva ser considerado doente" .



terça-feira, 17 de maio de 2011

Distensão muscular

    Geralmente a distensão ocorre em esportes que exigem um grande esforço muscular explosivo em um curto espaço de tempo. Distensão é uma ruptura muscular, para melhor compreendermos está lesão e necessário entender a gravidade e o significado. Distensão : e um grau de ruptura de fibras musculares, na junção músculo-tendão  ou na inserção óssea de uma unidade músculo-tendíneo, podendo ser parcial ou completa, envolvendo três graus de ruptrua.; quando excede sua resistência natural. Lembrando que as atividades esportivas podem causar inúmeros tipos de rupturas musculares.  


Possíveis causas:
- sobrecarga excessiva (sobrecarga excêntrica - lenta a favor da gravidade, alongando o músculo na medida que desesenvolve tensão e se contrai para controlar o movimento realizado), junção do músculo com o tendão.
- mudança entre contração excêntrica e concêntrica (contração concêntrica: rápida, contração excêntrica: lenta; alongando o músculo).
-  parada repentina.
-  combinação de aceleração e desaceleração rápida em viradas(curvas).
- treinamento inadequado.
- exceder o limite do musculo.
- Etc.

Obs.: As distensões costumam acontecer em músculos que movimentam duas articulações.

Sintomas: 
- Dor aguda ao contrair o músculo lesionado em questão.
- Dor em rupturas parciais por inibir a ação do músculo.
- sensibilidade e inchaço na região afetada.
- equimose.
- pode haver espasmo muscular.


Graus de ruptura:
Grau 1 (leve): consiste em 5% da ruptura de fibras musculares. Não a perda de força é nem restrição muscular.
Grau 2 (moderada): ruptura mais significativa, porém não completa. Podendo compromete o movimente do músculo afetado. Obs.: a dor vai graduando mediante a contração muscular.
Grau 3 (grave):  ruptura completa do músculo. Comprometimento do movimento.

Recuperação: o músculo ira forma novas fibras musculares, cicatrizando o local da lesão. Porem as novas fibras musculares será mais curtas e menos flexíveis. E importante que o atleta (paciente) siga um tratamento de reabilitação em longo prazo, para que não ajam maiores comprometimentos.



 






 

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Quais as ações do coração e como ele funciona?

      Primeiramente vamos falar como ele age para que assim possamos dizer qual a função do coração. Para entendermos melhor o seu funcionamento e necessário saber suas estruturas anatómicas básicas, o coração possui dois átrios e dois ventrículos sendo eles direito é esquerdo; os átrios se contraem é jogam o sangue para o ventrículo que também se contraem (não ao mesmo tempo) fortemente para mandar sangue para  os pulmões ou para circulação sistêmica, como veremos adiante. 
    
   Existem duas circulações exercidas pelo coração a circulação pulmonar ( pequena circulação) é a circulação sistêmica ( grande circulação), daremos inicio a circulação pulmonar: o sangue rico em CO2 (sangue venoso) sai do ventrículo direito através da árteria pulmonar que distribui o sangue para os pulmões onde ocorre a hematose (troca de gases, o sangue venoso vai passar a ser arterial), o sangue rico em O2 retorna para  átrio esquerdo através das veias pulmonares. lembrando qu nem todas as veias conduzem sangue venoso e nem todas as árterias conduzem sangue arterial. Ex: a árteria pulmonar é as veias pulmonares.  Circulação sistêmica: o sangue rico em O2 sai do ventrículo esquerdo através da árteria Aorta que leva o sangue para os tecidos é retorna através da veia cava superior e inferior para o átrio direito.Veja a figura.




Circulação intrinseca do coração
      Assim como todos os nossos tecidos o coração também precisa de sangue, porém, ele não usa o sangue bombeado, existem ramos que saem da árteria aorta que formam pequenas árterias em forma de coroa, chamadas árterias coronarias que leva sangue arterial para o miocárdio (responsável pela contração do coração). assim como exitem ramos que levam sangue arterial para o miocárdio, existem ramos que trazem sangue venoso do miocárdio, assim chamado de seio coronário (vaso coronário) formado pelas veias pulmonares, veia cava superior e inferior.


Função  cardiaca
 - Débito cardiaco (quantidade de sangue bombeado pelos ventrículos)
 - Frequência cardiaca (contração - batimentos por minutos)
 - Retorno venoso (volta do sangue venoso ao coração)
 - enviar sangue arterial para todos os tecidos (oxigenando todos os tecidos para que assim possam manter as suas funções homeostaticas).

 

terça-feira, 26 de abril de 2011

Cartilagem articular

        A cartilagem articular e o resvestimento brilhante dos ossos das articulações. Lesões nesta cartilagem pode ocorrer por traumas, lesões causadas por esforço repetivivo, derivada das atividades de impacto ( Ex: taekwondo). Lesões da cartilagem articular e um problema comum (frequênte) em atletas.
       Como vimos a cartilagem articular e o revestimento brilhoso dos ossos das articulações, ou seja as extremidades dos ossos que se unem para realizar alguma função articular, reduzindo o atrito e aumentando a absorção do choque. A cartilagem e constituida por céluas denominadas CONDRÓCITOS e rodeada por matriz. Os condrócitos produzem a matriz que e composta por colágeno que potrege a cartilagem (o líquido sinovial lubrifica a cartilagem articular, reduzindo o atrito entre elas. A cartilagem articular e o único tecido desprovido de nervos, vascularização e suprimento linfático. A cartilagem articular depende do líquido sinovial para obter nutrientes e oxigênio. O metabolismo e lento. A falta de inervação significa que quando lesionada não se sente dor, a não ser que os tecidos que a rodeiam sejam afetados ( ex: osso). 

Lesão da cartilagem articular
       
       Esse tipo de lesão costuma está relacionado com torções, deslocamento ou contusão da articulação. Elas costumam estar associadas a lesões de ligamentos ou subluxação da articulação. Podem ser causadas também por microtraumas repetitivos. Fraturas que penetram a supefécie da cartilagem articular podem causar defeitos articulares.





Cicatrização e reparo

        Lesões limitadas á cartilagem articular têm pouca capacidade de cicatrização e reparo. Lesões da cartilagem, tanto superficiais de espesura total, podem progredir por causa do desgaste mecânico e do colapso da matriz. O colapso da matriz, por fim causa osteoartrite, uma condição extremamente graves quando as superfícies articulares são lesadas (podendo progredir).


Lesão aguda da cartilagem articular
Sintomas : torção, deslocamento ou contusão da articulação
                inchaço em consequência do derrame ou sangramento
                Dor quando a área é movimentada ou suporta carga.
               Crepitação durante o movimento da articulação.

Tratamento - O atleta deve : resfrir a articulação com gelo
                                           apoiar a articulação com bandagens elásticas
                                           repousar, evitar carga sobre a articulação
                                           elevar o membro
                                           
Lesões crônicas da cartilagem articular
Sintomas : presença de dor e inchaço durante e após a atividade
                "travamento" durante a atividade
                sensibilidade nas linhas articulares afetadas
                
Tratamento: tratamentos conservadores incluem redução ou alteração da atividade, exercícios que melhorem a resistência muscular, propriocepção e antiinflamatórios. o tratamento também pode ser de caso cirúrgico, por isso a importância do acompanhamento médico.

Cartilagem articular ( parte brilhosa do condilo)
                                          



sábado, 26 de fevereiro de 2011

Osteocinemática

Noções básicas de  osteocinemática (classificação planar da posição e do movimento) ajudaram futuramente a intender e a indentificar os movimentos das articulações e segmentos do corpo (na cinesiologia) .Para definir os movimentos de uma determinada articulação é necessário um ponto de referência (planos anatômicos) . 



Planos Cardeais 

Plano frontal 
o plano frontal e pararelo ao osso frontal e divide o corpo em partes da frente e de trás (como mostra na figura acima, letra B). os movimentos que ocorrem nese plano são definidos como abdução e adução. Abdução é uma posição ou movimento do segmento afastando-se da linha mediana. Adução é uma posição ou movimento aproximando-se da linha mediana. 

video

Plano Sagital
O plano sagital é vertical e divide o corpo em lados direito e esquerdo (figura A).  Os movimentos  articulares que ocorrem no plano sagital são definidos como flexão e extensão ( se a extesão for além da posição de referência anatômica, ela é chamada HIPEREXTENSÃO.

video

Plano Horizontal
O plano horizontal ( plano transverso) divide o corpo em partes superior e inferior. Rotações ocorrem neste plano. No braço usamos o termo pronação (rotação interna do antebraço) e supinação ( rotação lateral ).